ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO

Desde o seu surgimento, em 2000, o Projeto Salas Verdes vem se reformulando e aprimorando com o intuito de fortalecer a sua identidade e ampliar o seu alcance em toda a sociedade. A partir da perspectiva inicial de bibliotecas verdes e do potencial dessas instituições para atuarem como centros de informação e formação ambiental, o MMA propõe a implementação do Projeto Salas Verdes por meio de quatro linhas de ação: Articulação, Comunicação, Formação e Monitoramento e Avaliação.

ARTICULAÇÃO

Implementar e fortalecer a atuação de espaços educadores requer articulação com as entidades que desejam ter uma Sala Verde e com outras instituições capazes de apoiar o Projeto. Os órgãos do SISNAMA, dessa forma, constituem parceiros estratégicos para a implementação do Projeto.

Nesse sentido, o MMA busca estabelecer parcerias com Órgãos Estaduais de Meio Ambiente – OEMAs e outras instituições interessadas, para a conjugação de capacidades técnicas no desenvolvimento de ações e projetos relacionados à Educação Ambiental não formal, incluindo o Projeto Salas Verdes.

No âmbito do Projeto Salas Verdes, o estabelecimento de parcerias com as secretarias estaduais de meio ambiente tem como objetivo estabelecer uma agenda compartilhada, atuando de forma cooperativa no desenvolvimento das ações do Projeto.  As Salas Verdes criadas nas unidades federativas constituem uma rede de espaços educadores capazes de atuar como parceiros das ações desenvolvidas pelos OEMAs, contribuindo para maior alcance e capilaridade da política e ações estaduais de educação ambiental. 

Como forma de incentivar a criação e reconhecer espaços atuantes em todo o Brasil, o Projeto lança chamadas para criação de Salas Verdes. Entre as ações que podem ser executadas pelos OEMAs estão desde a criação de novas Salas Verdes até o apoio na realização de processos formativos.

COMUNICAÇÃO

A frente denominada comunicação está associada em especial à divulgação pelo MMA das ações protagonizadas pelas Salas Verdes, e vice-versa, tais como a realização de cursos, palestras e campanhas. Nesse escopo, também se enquadra a participação desses espaços em grupos e redes sociais ligadas ao Projeto e, em menor escala, à disponibilização de publicações técnicas da área ambiental pelo Ministério, quando houver.

As instituições participantes do Projeto formam a Rede de Salas Verdes, que atuam de forma colaborativa, por meio da troca de informações, experiências e materiais relevantes das instituições do Projeto. A participação na Rede contribui para o estabelecimento de parcerias entre as salas verdes, o acesso a editais e chamadas de elaboração de projetos e captação de recursos, a elaboração e desenvolvimento de projetos de Educação Ambiental de forma integrada, para o enfrentamento de questões socioambientais locais/regionais, entre outros.

Com o avanço dos meios de comunicação e o maior acesso às informações, publicações e conteúdos socioambientais, principalmente por meio da Internet, o Projeto Salas Verdes hoje tem o desafio de ir além da disponibilização de publicações impressas produzidas pelo MMA e entidades vinculadas. Considera-se as próprias Salas Verdes como agentes geradores da informação socioambiental que circula na rede e nos espaços de troca de informações do Projeto.

A Internet torna possível a comunicação e promoção dessa interação de forma rápida, mesmo em longas distâncias. Exemplos disso é o uso de ferramentas como as redes sociais, grupo de e-mails, blog e ambiente virtual de aprendizagem.

FORMAÇÃO

A realização de processos formativos também constitui uma das linhas de ação do Projeto Salas Verdes. Este eixo busca oferecer formação às equipes pedagógicas das salas Verdes e também contribuir com os processos formativos realizados pelas salas verdes com os seus públicos.

Para isso, o MMA possui uma plataforma de educação a distância (ead.mma.gov.br) e oferece regularmente cursos com diferentes temáticas, que contribuem para a formação de educadores ambientais e do público em geral.

Para apoiar as instituições que integram o Projeto Salas Verdes, o MMA iniciou em 2017 a abertura de chamadas específicas para as Salas Verdes ofertarem os cursos do MMA para os seus públicos. Com essa iniciativa, o Projeto forma turmas específicas para as Salas Verdes em cada um dos cursos, priorizando a formação dos usuários e da equipe técnica atuante nestes espaços educadores.

O curso intitulado “Fundamentos e Práticas de Educação Ambiental para Espaços Educadores”, com carga horária de 60h, foi elaborado especificamente para as Salas Verdes e para instituições interessadas em participar do Projeto. Este curso busca levar conhecimento às equipes pedagógicas das Salas Verdes e outros espaços educadores, estimular a formação de novas salas e promover o fortalecimento do Projeto Salas Verdes. 

Além de disponibilizar o conteúdo dos cursos EaD para os seus públicos, a Sala Verde pode organizar encontros presenciais com os alunos e realizar atividades pedagógicas relacionadas aos objetivos dos cursos, de acordo com a realidade local. É possível também realizar palestras, workshops, visitas de campo e outras atividades de livre escolha das Salas para aprofundamento do conteúdo trabalhado no curso EaD.

Para contribuir com a formação e fortalecer a atuação das instituições, o Projeto também propõe a realização de encontros regionais e/ou estaduais das salas verdes.

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Para monitorar e avaliar as ações realizadas no âmbito do Projeto, o MMA solicita às instituições um relatório anual de atividades, em formato simplificado, no qual as Salas Verdes apresentam um breve relato das ações desenvolvidas no ano anterior e avaliam a sua atuação e as ações do Projeto.

PAPEL DE CADA INSTITUIÇÃO ENVOLVIDA NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO SALAS VERDES

Os principais atores envolvidos no desenvolvimento do Projeto Salas Verdes são:

  • MMA  (Governo Federal);
  • Secretaria de Estado de Meio Ambiente com Acordo de Cooperação (Governo Estadual); e
  • Instituição responsável pela Sala Verde.
MMA (Governo Federal)

Em âmbito federal, o suporte à implementação do Projeto é provido pelo Departamento de Documentação/MMA. Ao chancelar uma Sala Verde, o MMA reconhece a relevância desta e certifica que o Projeto da instituição está de acordo com as diretrizes e objetivos da Política e do Programa Nacional de Educação Ambiental. Nesse sentido, entendemos que a participação da instituição neste Projeto dá credibilidade e fortalece sua atuação. Além disso, facilita a articulação e o estabelecimento de parcerias para a realização local de outras ações socioambientais.

Dentre outras ações, cabe ao MMA:

  • Coordenar o Projeto Salas Verdes em âmbito nacional;
  • Enviar material promocional (banner) para identificação do Projeto no próprio espaço físico da sala ou em eventos, tais como oficinas, seminários e palestras;
  • Dar visibilidade e promover a integração das atividades desenvolvidas pelas Salas Verdes, proporcionando o amplo acesso e compartilhamento de informações que possam servir de referência para outras iniciativas, especialmente por meio da Internet;
  • Promover a integração das Salas Verdes com os demais Programas e Projetos do Departamento, bem como ações de secretarias e departamentos do MMA, suas Vinculadas e de outros Ministérios com trabalhos afins;
  • Atualizar e disponibilizar, periodicamente, na página do Projeto no site do MMA, a relação   das   Salas   Verdes em funcionamento no país;
  • Dialogar com potenciais parceiros com o intuito de articular iniciativas e potencializar as ações das Salas Verdes;
  • (ead.mma.gov.br);
Governo Estadual

Para atender a todas as Salas Verdes, presentes em todos os estados e no Distrito Federal, é necessária uma gestão compartilhada do Projeto. Para isso, o MMA busca estabelecer parcerias com as Secretarias Estaduais de Meio Ambiente (SEMAs) para uma ação gerencial no processo de implementação e acompanhamento destes espaços em âmbito estadual e/ou distrital.

As SEMAS podem atuar de forma cooperativa com o MMA, recebendo apoio técnico na gestão das Salas Verdes em seu respectivo estado e assumindo funções gerenciais no Projeto. Apresenta-se a seguir algumas atividades que podem ser  desenvolvidas pelas SEMAs:

  • Seleção dos projetos de salas verdes de seu estado, em diálogo com o MMA, para criação de novas salas verdes;
  • Coordenação das ações relacionadas ao Projeto, incluindo apoio pedagógico, monitoramento, avaliação de atividades promovidas pelas Salas Verdes;
  • Designação de equipe técnica para acompanhamento do Projeto e um ponto focal para diálogo direto com o MMA;
  • Realização de encontros estaduais, regionais ou municipais das Salas Verdes, ou outras iniciativas para troca de experiências e aprimoramento de suas atuações;
  • Realização de iniciativas de Educação Ambiental no âmbito das Salas Verdes;
  • Apoio à implementação de cursos de Educação Ambiental, incluindo os promovidos pelo Departamento de Documentação;
  • Fornecimento de publicações de conteúdo socioambiental para as Salas Verdes, quando houver;
  • Divulgação de ações e projetos socioambientais das Salas Verdes;
  • Dentre outras ações relevantes para a implementação das Salas Verdes, de acordo com os objetivos do Projeto
Instituição responsável pela Sala Verde

À instituição que deseja implementar uma Sala Verde, são atribuídas as seguintes responsabilidades:

  • Elaborar, implementar, acompanhar, avaliar e revisar o Projeto Político Pedagógico proposto para a Sala Verde;
  • Disponibilizar local/espaço, que atenda aos objetivos do espaço educador;
  • Dispor e manter equipamentos e infraestrutura mínimos, incluindo mesas, cadeiras e estantes. Outros recursos, tais como computadores, vídeos, TVs, são considerados desejáveis;
  • Assegurar a gestão (aluguel, luz, água, etc.) e a manutenção (limpeza, condições de funcionamento) do espaço físico e dos equipamentos existentes (computadores, fax, projetores, etc);
  • Atualizar as informações de cadastro, sempre que houver alguma alteração.
  • Encaminhar solicitação, por email, ao Departamento de Documentação/MMA, em caso de encerramento da Sala Verde;
  • Designar equipe para execução do projeto. A equipe deverá variar de acordo com a dimensão, objetivos e com a proposta pedagógica da Sala Verde. Dois perfis são desejáveis: (i) pessoa com conhecimentos mínimos em organização de acervo; e (ii) pessoa com experiência em Educação Ambiental e em áreas correlatas.
  • Enviar Relatório Anual de Atividades ao MMA, relatando as ações desenvolvidas no ano.


Accessibility